Exchange ICO

Coreia do Norte financia hacks e golpes de falsas ICOs, diz pesquisa

Hackers financiados pela Coreia do Norte têm atacado cada vez mais exchanges de criptomoedas na Coreia do Sul. De acordo com a empresa de segurança cibernética Inksit Group, o governo da Coreia do Norte está executando projetos ilícitos de oferta inicial de moedas (ICOs, na sigla em inglês) e violando grandes corretoras do país vizinho. O objetivo seria contornar sanções impostas ao país

“Descobrimos que a elite dominante da Coreia do Norte é tecnologicamente experiente, usa uma gama completa de computadores, telefones e dispositivos mais antigos, usa a Internet como uma ferramenta para contornar as sanções e recentemente adotou os serviços de redes sociais chinesas em detrimento das do ocidente”, disse o Grupo Inksit.

O relatório também alegou que a Coreia do Norte está administrando um projeto fraudulento de ICO. Os pesquisadores afirmaram que uma rede de “facilitadores” da Coreia do Norte em Singapura criou vários golpes envolvendo as ofertas iniciais.

Conscientes dos esforços de grupos de hackers que visam as exchanges sul-coreanas, várias agências governamentais da Coreia do Sul exigiram que as plataformas de negociação de ativos digitais se concentrem na implementação de fortes medidas de segurança para evitar violações e obter seguro para proteger os fundos dos usuários.

Como o Irã, a Coreia do Norte está isolada da rede SWIFT, o sistema financeiro global que os bancos internacionais utilizam para processar pagamentos transnacionais. Consequentemente, é mais difícil para a Coreia do Norte negociar produtos e conduzir negócios com empresas internacionais. Segundo o relatório, o país tem recorrido aos roubo de criptomoedas como uma forma de melhorar a economia e conseguir mais dinheiro.

Em janeiro, o Inksit Group e o Recorded Future afirmaram que a Coreia do Norte estava por trás de várias violações de segurança contra exchanges da Coreia do Sul. Em relatório, a empresa de segurança cibernética afirmou que malware idêntico usado no ataque de hackers da Sony Pictures e WannaCry foi usado para invadir a Coinlink, uma corretora local de criptomoedas.

Na época, o Inksit Group alegou que o Lazarus Group, uma organização de hackers apoiada pelo Estado na Coreia do Norte, participava do ataque a Bithumb. O Lazarus Group é suspeito de ter distribuído arquivos Hangul Word Processor (HWP), que são equivalentes a documentos do Microsoft Word na Coreia do Sul, para direcionar funcionários de exchanges.

ONDE COMPRAR  BITCOIN E CRIPTOMOEDAS:

Related posts

Exchange Bitstamp recebe “BitLicense” de reguladores de Nova York

Marcele Blanchart

Coinbase PRO listará EOS, REP e MKR

Marcele Blanchart

SEC publica guia para tokens e criptomoedas

Marcele Blanchart

Exchange Bithumb é roubada em US$ 13 milhões

Marcele Blanchart

Exchange Bakkt é avaliada em US$740 milhões

Marcele Blanchart

Leave a Comment